Início / Aulas / Eritroblastose Fetal – doença hemolítica do recém-nascido – o que é

Eritroblastose Fetal – doença hemolítica do recém-nascido – o que é

A eritroblastose fetal também conhecida como doença hemolítica do recém-nascido, é uma doença grave causada pela incompatibilidade do fator Rh entre mãe e filho. Quando essa incompatibilidade acontece, os fetos e os recém-nascidos terão anemia grave, icterícia (pele amarelada) e até lesões neurológicas. Como resultado da destruição dos seus glóbulos vermelhos pelos anticorpos anti-Rh da mãe, a criança pode morrer durante a gestação ou no nascimento. Dê uma olhada no vídeo logo abaixo explicando como  funciona o sistema Rh e a Eritroblastose Fetal.

Os tipos sanguíneos são transmitidos hereditariamente; logo, herdamos o tipo sanguíneo conforme o grupo a que pertence cada um dos pais. A eritroblastose fetal ocorre quando a mãe é Rh negativo e o pai é Rh positivo. Apenas filhos da segunda gestação, se forem Rh positivo, poderão apresentar eritroblastose fetal.

Eritroblastose Fetal – doença hemolítica do recém-nascido – o que é

Outro sistema bastante conhecido é os sistema sanguíneo ABOVeja essa aula aqui no site.

Na primeira gestação a criança não é afetada, pois geralmente o contato entre o sangue da mãe e o sangue do filho ocorre na hora do parto. A partir daí o organismo materno produzirá anticorpos anti-Rh. Para evitar que isso aconteça, logo após o parto, a mulher deve tomar um soro específico contendo anti-Rh, que destruirá as hemácias fetais, impedindo que a mãe fique sensibilizada.

Caso a mãe não tenha se precavido após a primeira gestação, a eritroblastose fetal pode ocorrer. Durante a segunda gestação, se o feto também for Rh”, os anticorpos anti-Rh que a mulher tem em seu corpo identificarão os antígenos Rh do feto e com isso ela produzirá mais anticorpos anti-Rh.

Um grande número de anticorpos anti-Rh produzidos pela gestante passará para a corrente sanguínea do feto e atacará seus eritrócitos (glóbulos vermelhos), destruindo-os.

O tratamento para essa doença consiste em fazer a troca do sangue da criança ao nascer substituindo por sangue Rh negativo. Quando a criança afetada pela eritroblastose fetal sobrevive, pode sofrer de retardo mental.

Incidência de eritroblastose fetal

Segundo a APAE-SP (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), “estima-se que a incompatibilidade do fator Rh seja a causa do retardamento mental de 3% a 4% dos portadores de deficiência mental institucionalizados.

A letalidade dessa doença e suas sequelas justificam a sua prevenção. É necessário que as mulheres conheçam o seu fator Rh e de seu par.

fontes:
https://www.youtube.com/watch?v=YKtG6fJatTI

um comentário

  1. Achei o precisava pro meu trabalho. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não vai embora ainda!
Quer material pra estudar ou dar aula?
Inscreva-se grátis! 
Inscrever-se
Lembre-se, você poderá cancelar a inscrição a hora que quiser
88 Slides profissionais   Biologia e Ciências     R$ 21,00

Você é 
Professor(a)?

Tem um slide GRÁTIS em powerpoint pra você baixar agora. 
Baixar Slide

Compartilhe isso com um amigo