X

Água-Viva: O que é, características, curiosidades

As águas são um dos animais mais incríveis do reino animal. Saiba mais sobre esses cnidários

5.0
01

A água-viva é um animal marinho, invertebrado pertencente ao filo dos cnidários. O corpo de uma água-viva adulta é composto de uma substância gelatinosa em forma de sino que envolve sua estrutura interna, da qual os saem vários tentáculos .

As águas-vivas são um dos seres mais intrigantes do reino animal têm muitas formas e cores diferentes e variam em tamanho. Em geral medem de poucos milímetros e chegar a 3 metros de diâmetro.

Uma espécie de água-viva encontrada no mar frio do Ártico é enorme, seu corpo pode ter mais de 2,5 metros de largura e seus tentáculos podem ter incríveis 36 metros de comprimento.

Embora as águas-vivas frequentemente sejam transparentes ou de cor azul pálida, elas também podem ser amarelas, azuis profundas, púrpura brilhante, lilás, laranja brilhante, vermelho escuro.

Algumas águas-vivas, quando são perturbadas durante a noite, são capazes de produzir luz por bioluminescência.

As águas-vivas são constituídas por uma camada de epiderme, gastroderme e uma espessa camada gelatinosa chamada mesogleia que separa a epiderme da gastroderme.

Se você nunca foi picado por uma água-viva, então você tem muita sorte, pois eles têm uma picada dolorosa e algumas podem até matar.

Os tentáculos de uma água-viva são cobertos com células que picam, chamadas de cnidócitos. Elas liberam uma substância urticante capaz de espantar predadores e paralisar suas presas.

O que são águas-vivas?

Eles são animais aquáticos invertebrados de natação suave e livre que se assemelham a um guarda-sol e / ou com a forma de um sino gelatinoso, que também tem alguns tentáculos.

As águas-vivas são classificadas no subfilo Medusozoa, que é uma parte importante do filo Cnidaria (celenterado) ao qual também pertencem corais, caravela portuguesa, anémonas-do-mar, vespa do mar, canetas marinhas, e a gorgônia. .
É bom notar que nem todas as espécies do grupo Medusozoa são consideradas águas-vivas. As águas-vivas não são peixes invertebrados e, em alguns aquários públicos, costumam chamá-las medusas.

Principais características da água-viva

Todas as águas-vivas compartilham várias características básicas. Como invertebrados  elas não têm uma espinha dorsal.

Seu corpo tem duas camadas de tecido: um ectoderma externo e um endoderma interno. No meio dessas camadas encontra-se a mesogleiagelatinosa que fornece volume e suporte para o animal.

A mesogleia não contém células e é composta principalmente de água, sendo esta a principal razão pela qual elas são transparentes e dão um aspecto gelatinoso a esse animal.

O corpo da água-viva durante a maior parte do seu ciclo de vida tem a forma de um sino. No caso de águas-vivas da classe cubozoa tem quatro lados diferentes. Estendendo-se do corpo da maioria das águas-vivas, há longos tentáculos com nematocistos.

Algumas espécies carecem de tentáculos, entre os quais a grande água-viva vermelha – Tiburonia granrojo (foto), que usa braços longos e carnudos para alimentar suas presas.

Água-viva também não tem cabeça, sistema circulatório e órgãos para respiração e excreção. Sua boca está na parte inferior do corpo e está conectada a uma cavidade central preenchida com estruturas semelhantes a pelos chamadas cílios que ajudam a transportar alimentos e outros materiais por todo o corpo.

Seus músculos inferiores se contraem e expandem o corpo, como um guarda-chuva, permitindo que o animal nade. Uma rede de nervos corre sob o pelo do corpo e coordena os músculos.

Algumas águas-vivas verdadeiras, da classe dos cifozoários têm olhos simples ao redor da borda do corpo. No caso dos cubozoários estes olhos são mais complexos e incluem lentes, córneas e retinas.

Habitat e Distribuição

As águas-vivas são habitantes dos mares tropicais e das águas frias do Ártico,onde estão há mais de 650 milhões de anos.

São animais pelágicos, isto é, vivem no mar aberto e, embora possam ser impulsionados com movimentos rítmicos de seus guarda-chuvas, movem-se basicamente à mercê das correntes marítimas.

As águas-vivas sobreviveram por muito tempo em seus habitats aquáticos. Estão na Terra há milhões de anos e podem ser encontradas em todos os oceanos.

Há ainda algumas águas-vivas que vivem em lagos e rios de água doce. Há algumas espécies de hidrozoários que são encontrados apenas em água doce

Águas-vivas normalmente flutuam, no entanto, ocasionalmente você as verá nadando. As águas-vivas nadam por pulsações rítmicas do guarda-chuva ou sino.

O movimento é muito parecido com um guarda-chuva sendo aberto e fechado lentamente. Ele é coordenado por um sistema nervoso muito simples e por órgãos dos sentidos ao redor da borda, que são sensíveis à luz e a produtos químicos na água.

As águas-vivas são nadadoras lentas, mas a velocidade e a baixa resistência à água não são importantes porque elas também podem se alimentar plâncton. É mais importante para eles que seus movimentos criem uma corrente onde a água (que contém sua comida) e está sendo forçada ao alcance de seus tentáculos.

Alimentação

A maioria das águas-vivas se alimentam de pequenos peixes e zoo-plâncton que ficam presos em seus tentáculos.

As águas-vivas também comem pequenos animais, como camarões. Alguns dos animais que as águas-vivas comem são microscópicos, pequenos demais para serem vistos pelo olho humano.

Também comem outras águas-vivas de outras espécies. Eles capturam suas presas usando nematocistos, pequenos estruturas presentes nos tentáculos do animal.

Reprodução das águas-vivas

As águas-vivas se reproduzem sexualmente e assexuadamente. Ao atingir o tamanho adulto, eles se reproduzem diariamente se tiverem comida suficiente.

Na maioria das espécies, a desova é controlada pela luz, de modo que toda a população aparece aproximadamente na mesma hora do dia, geralmente ao anoitecer ou ao amanhecer.

As águas-vivas apresentam indivíduos masculinos e femininos com hermafroditas ocasionais. Na maioria dos casos, os adultos liberam espermatozoides e óvulos na água circundante, onde os ovos desprotegidos são fertilizados e amadurecem em novos organismos.

A maioria das águas-vivas vive de algumas semanas a vários meses, embora algumas espécies possam viver um ano ou mais.

As águas-vivas têm um ciclo de vida com duas formas principais do corpo. Uma forma de natação livre chamada de medusa e uma forma não-nadadora chamada pólipo.

O formato do sino no caso da águaviva verdadeira e dos quatro lados no caso da água-viva cubozoa é a forma que domina a vida do animal.

A água-viva se reproduz sexualmente, o que significa que elas produzem gametas, ou óvulos e espermatozoides.

Os óvulos são fertilizados pelo espermatozoide e então liberados na água, onde cada um se torna uma larva de natação livre chamada plânula.

Cada plânula eventualmente adere a um solo rochoso e se desenvolve na forma de um pólipo semelhante a um caule. O pólipo é um estágio assexual e se reproduz por brotação.

Os pólipos da água-viva liberam muitos brotos e cada um é liberado como uma forma jovem chamada de éfira que então se afasta e amadurece em uma água-viva.

O cilo de vida completo pode ser melhor visualizado na imagem abaixo.

No caso da água-viva-caixa, o pólipo só pode produzir uma única água-viva. A alternância de uma fase sexual e uma fase assexuada no ciclo de vida da água-viva é conhecida como gerações alternadas.

Queimadura causada por água-viva

Queimadura de água-viva são problemas relativamente comuns para as pessoas que nadam ou mergulham no mar. Seus longos tentáculos podem injetar veneno usando milhares de picadas microscópicas.

Essas mordidas variam muito em gravidade. Na maioria dos casos, causam dor imediata e marcas vermelhas e irritação da pele.

Algumas picadas podem causar doenças sistêmicas (em todo o corpo) e, em casos raros, as picadas de água-viva são potencialmente mortais.

A dor ardente ardente, manchas vermelhas, marrons ou violetas na pele, coceira, inchaço e dor latejante que irradia de uma perna ou braço são os sintomas de uma queimadura de água viva.

O que fazer quando houver uma queimadura de água-viva

Se as células pungentes [nematocistos] de uma água-viva entrarem em contato com sua pele, elas liberarão um veneno que pode causar vários sintomas, Veja os mais comuns abaixo.

Os sintomas podem incluir:

  • dor forte
  • dor de cabeça, náusea, vômito, diarreia
  • inchaço da pele / feridas / vermelhidão
  • dificuldade em respirar, engolir e falar
  • tremendo, suando
  • pulso irregular / insuficiência cardíaca

Tratamentos:

  • despeje o vinagre sobre os tentáculos. A urina não funciona n maioria dos casos.
  • Levante todos os tentáculos com uma vara ou similar.
  • use imobilização de pressão nos membros, se possível.
  • envolva rapidamente uma bandagem acima e abaixo da picada (se você não conseguir colocar dois dedos sob a bandagem, ela está muito apertada).
  • Imobilize a área picada e mantenha a vítima deitada, se possível.
  • não beba álcool, nem tome remédio ou comida.
  • receber tratamento médico com urgência e aplicar antiveneno, se disponível.

Alguns tipos de picadas de água-viva são como arpões em miniatura com farpas no final que injetam veneno para paralisar suas presas. Algumas águas-vivas têm arpões pegajosos e outras envolvem seus arpões ao redor de suas presas para prendê-lo.

Leitura sugerida

Referências bibliográficas

  • Biologia Mainha – 8ed – Link
  • Biologia dos Invertebrados 7ed – Link
Categorias: Mundo Animal