X

Características do Filo dos Anelídeos – exemplos, reprodução, fisiologia – resumo

Filo Annelida - o que são, anatomia principais estruturas e muito mais

4.7
13

Anelídeos são animais invertebrados. Também conhecido como filo annelida. Suas principais características são o corpo mole, cilíndrico, alongado e todo segmentado. São animais hermafroditas, sua reprodução pode ser sexuada ou assexuada. Possuem metameria (segmentação do corpo), um complexo sistema digestivo e sistema cutâneo.

Como exemplos de anelídeos podemos citar as minhocas, o minhocuçu, as sanguessugas, os tubifex e os nereis (poliquetas). Existe aproximadamente 15 mil espécies conhecidas no filo annelida. Tem grande importância ecológica inclusive para a agricultura.

Nesta aula veremos o que são anelídeos, suas principais características, sua reprodução, habitat, fisiologia anatomia e muito mais. Antes veja uma vídeo aula logo abaixo e depois continue a leitura.

Se você gostou do slide usado no vídeo acima, ele está no final da página.

O que são anelídeos

São animais invertebrados, de corpo mole e cilíndrico. Seu corpo possui vários anéis que formam segmentos por todo o corpo. Esses segmentos são chamados de metâmeros.

Podem ser encontrados em ambientes de água doce, salgada e em solos úmidos. Se locomovem por conta própria. São encontrados livres na natureza ou como parasitas de alguns animais incluindo o ser humano

São animais que podem ser carnívoros, herbívoros, detritívoros (alimentam-se de detritos) e até hematófagos (alimentam-se de sangue). Isso vai depender da espécie.

Principais Características do Filo Annelida

Como principais características dos anelídeos podemos citar:

  • São animais invertebrados
  • Possuem corpo mole
  • Seu corpo é dividido em metâmeros: são os anéis
  • São triblásticos: são três folhetos embrionários
  • Possuem celoma: cavidade interna formado durante a fase embrionária
  • Sistema digestório completo
  • Sistema circulatório fechado
  • Respiração cutânea: para os animais terrestres
  • respiração branquial: para os animais aquáticos
  • Sistema nervoso ganglionar
  • Sistema excretor por nefrídios
  • Reprodução sexuada e assexuada
  • São protostomados: no desenvolvimento embrionário a boca se desenvolve antes do ânus

Embora pareça vermiforme, o corpo dos anelídeos é todo segmentado, formado por estruturas circulares, como se fossem anéis, dai vem o nome do filo dos anelídeos.

Os anéis podem ser visíveis na superfície e em seus órgãos internos como na musculatura e no sistema nervoso. O resultado disso é um controle muito eficiente dos movimentos, favorecendo a locomoção e podendo também favorecer sua adaptação a vários ambientes e modos de vida.

Os anelídeos possuem sistema digestório completo com boca e ânus, porém não apresentam sistema respiratório, as trocas gasosas com o meio ambiente ocorrem por difusão, sua respiração é cutânea no caso das minhocas e branquial no caso dos animais aquáticos.

O filo dos anelídeos apresenta um sistema circulatório fechado com um pigmento vermelho bem parecido com o dos humanos, a hemoglobina. é nos anelídeos que o sistema circulatório aparece pela primeira vez no Reino Animal.

Alguns anelídeos podem ter cerdas rígidas na superfície corporal, essas cerdas em geral tem forma de espinhos auxiliando na defesa e locomoção.

Classificação dos Anelídeos

Há aproximadamente 15 mil espécies de anelídeos  conhecidas, sendo a maioria de vida livre, porém há os que são parasitas também. O filo dos anelídeos possui três classes, são elas:

  • Oligoquetos ou Oligochaeta
  • Poliquetos ou Polychaeta
  • Hirudíneos

O que diferencia cada classe é a quantidade de cerdas distribuídas em cada anel do seu corpo. Esses animais podem ser encontrados tanto em habitats aquáticos quanto terrestres com alguma umidade. Vejamos agora as principais características de cada uma destas três classes.

Oligoquetos (Oligochaeta)

Oligoqueto significa que o animal tem poucas cerdas aparentes. É o grupo das minhocas e do minhocuçu. Sua principal características é a presença de poucos anéis em sua superfície corporal.

Existem alguns representantes aquáticos porém a maioria é encontrada em ambientes terrestres úmidos

As minhocas têm um sistema cardiovascular bem desenvolvido com 2 vasos centrais e 5 pares de coração rudimentares. que impulsionam o sangue por todo o corpo.

Os representantes desta classe são hermafroditas, possuem os dois sexo em um mesmo indivíduo, porém são necessários dois indivíduos com troca mútua de espermatozoide.

Poliquetos (Polychaeta)

Poliqueta significa que o animal que tem muitas cerdas aparentes. As poliquetas são animais aquáticos, principalmente marinhos, possuem muitos muitas cerdas. Os nereis (foto acima), são as poliquetas mais conhecidas dessa classe

Analisando o corpo, a cabeça pode ser identificada através de seus com órgão sensoriais.

Os Polychaeta (também conhecidos como minhocas marinhas), possuem uma estrutura chamada de parapódio que é um par de apêndice presente em cada segmento

Hirudíneos

Os representantes mais conhecidos dos hirudíneos são as sanguessugas, não possuem cerda na superfície do corpo porém há os anéis na parte interna do seu corpo. A metameria externa não acompanha a metameria interna.

Os indivíduos dessa classe são hermafrodita e sua fecundação é cruzada como nas minhocas.

Estrutura e anatomia dos Anelídeos

Os animais do filo annelida tem os anéis como a estrutura mais marcante. A presença desses anéis é que dá nome ao filo. Esses anéis (também chamados de metâmeros) são revestidos pelo celoma.

Esses animais comparados com o filo dos nematelmintos, possuem uma complexidade maior. Há vários sistema funcionais nesses indivíduos, como o sistema nervoso, digestório, circulatório entre outros que vou falar melhor logo abaixo.

Os anelídeos não possuem nenhum tipo de esqueleto, porém, seu sistema muscular é bem desenvolvido. Isso permite que esse animal realize uma locomoção bastante eficiente

Epiderme, sistema muscular e locomoção

A epiderme dos anelídeos possuem alguns anexos e realizam importantes funções sensoriais. Além disso, a epiderme também é responsável pelo troca de gases nos animais terrestres.

Existem células sensoriais na pele desses animais. Essas células são cobertas por um fina cutícula transparente, que vai protege essas células contra perda de umidade.

Além de células sensoriais a epiderme dos anelídeos produz muco através de glândula que vão manter a pele do animal sempre úmida. É fundamental para os animais terrestres manter a pele úmida pois justamente a epiderme que vai realizar a respiração. Por esse motivo, a pele possui muitos vasos para poder realizar a troca de gases com o meio ambiente.

Os sistema muscular dos anelídeos é um sistema músculo-dermático. Ou seja, a pele vai ajudar na sustentação e locomoção do animal.

Duas camadas de fibras musculares, uma interna longitudinal e outra externa, circular, constituem os sistema muscular desses animais.

Esse animal vai se locomover graças a contrações ritmadas de suas musculatura, auxiliada por um “esqueleto” hidrostático com líquidos presentes na cavidade celomática.

Nas oligoquetas e poliquetas as cerdas presentes em cada anel também vão auxiliar na locomoção. Os hirudíneos, não possuem essas cerdas na parte exterior do corpo, mas sua locomoção também é auxiliada por ventosas.

Sistema digestório no Filo Annelida e seus órgãos

O sistema digestório dos anelídeos é completo. Ou seja, possuem boca e ânus. Os órgãos do sistema digestório são os seguintes:

    1. Boca
    2. Faringe
    3. Esôfago
    4. Papo
    5. Moela
    6. Intestino
    7. Ânus

Depois de ingerir o alimento, os anelídeos armazenam no papo. Em seguida, esse alimento será levado para a moela onde ele vai ser quebrado em partes menores para que ele possa seguir para o intestino e ser absorvido na forma de nutrientes.

O que não for aproveitado como nutriente será eliminado em forma de fezes pelo ânus.

Sistema circulatório dos anelídeos

O sistema circulatório dos anelídeos é fechado, ou seja, o sangue circula no interior de vasos sanguíneos. Há um vaso ventral e outro dorsal.

Algumas espécies possuem ainda vasos com funções de contração. Esses vasos são comparados ao coração, já que a função deles é bobear e impulsionar o sangue pelo corpo do animal.

Esses vasos estão em volta do sistema digestório formando uma rede de capilares. Toda essa estrutura está presente em cada metâmero (anel) do animal.

O sangue dos anelídeos possui coloração avermelhada, pois há hemoglobina dissolvida no plasma.

Respiração dos anelídeos

Podemos encontrar dois tipos de respiração no anelídeos:

  1. Cutânea: presente apenas nas espécies terrestres. A troca gasosa é realizada através da pele.
  2. Branquial: presente apenas nas espécies aquáticas. A troca gasosa é realizada através de branquias.

No caso das espécies aquáticas a pele é bem fina e com a presença de glândulas para deixar a pele sempre úmida e assim facilitar a troca de gases com o ambiente.

Algumas espécies aquáticas usam os parapódios como brânquias.

Sistema nervoso no filo dos anelídeos

O sistema nervoso dos anelídeos é ganglionar. É encontrado um par de gânglios nervosos, que são ligados entre si em todos os metâmeros. Através desses gânglios saem os nervos periféricos.

No primeiro metâmero de cada animal os dois gânglios são mais desenvolvidos que os dos outros metâmeros. Esse primeiro par de gânglio funciona como uma espécie de órgão cerebroide.

Essa estrutura nervosa permite que os anelídeos tenha desenvolvido outros órgãos sensoriais olhos que conseguem tem alguma percepção luminosa. Há também a presença de apêndice, papilas e células que vão realizar funções de tatos de gustação.

Como os anelídeos se reproduzem

A reprodução dos anelídeos pode ser de duas formas:

  1. Sexuada
  2. Assexuada

A maior parte dos anelídeos é monoico, ou seja, um único individuo apresenta os dois sexos. São então animais hermafroditas. Esse é o caso das minhocas e das sanguessugas.

As poliquetas no entanto são animais dioicos, ou seja, há machos e fêmeas.

Existe uma estrutura presente nos anelídeos hermafroditas que se chama clitelo. Essa estrutura tem a forma de um anel mais claro que o resto do corpo do animal. Sua função é liberar um muco que vai grudar duas minhocas por exemplo e ajudar na troca de material genético para que haja fecundação.

Excreção dos anelídeos

O sistema excretor dos anelídeos é bastante desenvolvido se comparado aos nemátodas por exemplo. A excreção é feita por um par de nefrídios encontradas em cada metâmero do animal.

Esses nefrídios são os órgãos centrais na excreção dos anelídeos. Existem dois tipos de nefrídios:

  • Metanefrídios: presente na maior parte dos anelídeos. É composto por nefridióporo, nefroducto e nefróstoma.
  • Protonefrídios:

Onde vivem os anelídeos – habitat e modo de vida

Os anelídeos são dependentes da água. Eles são encontrados em ambientes aquáticos de água salgada e água doce. Ou ainda em ambiente terrestres úmidos.

São muito sensíveis a falta de água. Isso acontece principalmente por causa da sua respiração. Os annelidas aquáticos respiram através de brânquias.

Já os animais terrestres respiram através da respiração cutânea, que é a respiração pela pele. Para que a respiração cutânea aconteça é fundamental que a superfície da pele esteja sempre úmida para que assim as trocas gasosas possam acontecer.

Exemplos de Anelídeos

O exemplo de anelídeo mais conhecido é a minhoca. Mas esse filo é bastante grande e há vários outros representantes. Entre os anelídeos mais comuns podemos citar:

  • Minhocas
  • Minhocuçu
  • Sanguessugas
  • Nereis
  • Tubifex
  • Peripatus

A importância ecológica das minhocas

As minhocas são capazes de perfurar os solos mais duros, fazendo assim, com que fiquem menos compactos e mais arejados. quando se alimentam de restos de matéria orgânica do solo, eliminam no ambiente os restos parcialmente digeridos, chamados de húmus.

As minhocas aceleram o processo de reciclagem dos nutrientes no solo. Estima-se que apenas uma minhoca adulta devolva ao solo, diariamente, uma quantidade de húmus que equivale ao seu próprio peso.

São importantíssimas para a manutenção da fertilidade do solo em ecossistemas naturais, as minhocas também têm grande importância econômica. Há muitas empresas que atualmente se dedicam na produção e comercialização de “húmus de minhoca” a produtores rurais como uma alternativa orgânica ao uso de fertilizantes industriais.

As minhocas são indicativos de saúde do solo. Tem até o ditado: Solo bom é solo que tem minhoca. Neste link você poderá entender melhor sobre a saúde solo e sua relação com as minhocas

Não esqueça de deixar seus cometários sobre a aula Características do Filo dos Anelídeos – resumo no final da página.

Atividades e exercícios sobre o filo dos anelídeos

Depois de ter lido o texto, visto o vídeo e o slide, você é capaz de responder essas perguntas?

  1. Quais são os animais do grupo Anelídeos?
  2. Quais são os principais representantes dos anelídeos?
  3. Porque o grupo dos anelídeos tem esse nome?
  4. Quais são os principais grupos de anelídeos?
  5. Quantas e quais são os grupos de anelídeos?
  6. Qual é o grupo das minhocas?
  7. Qual é o habitat das minhocas?
  8. Como se movem as minhocas?
  9. Qual é o hábito alimentar das minhocas?
  10. Qual é a função da minhoca?
  11. Quantos corações uma minhoca pode ter?
  12. Quantos corações tem o polvo?
  13. Como as minhocas contribuem para a melhoria do solo?
  14. Quanto tempo de vida tem uma minhoca?

Slide sobre o Filo Annelida usado no para fazer o vídeo logo abaixo

Para uma melhor experiência assista a aula Características  do Filo dos Anelídeos – resumo no slide logo abaixo. Deixe também suas dúvidas nos cometários que sempre respondemos as perguntas.

Se você gostou desse slide você poderá conseguir esse e mais de 100 outros slides. Para ver todo o material é só acessar Neste Link.

Até a próxima aula.

Leitura Sugerida

Referências Bibliográficas

  • Brusca, Richard (2007). Invertebrados. Rio de janeiro: Guanabara Koogan. pp. 402 e 403
  • Um grupo de vermes classificado por alguns como poliquetos e por outros como clitelados, ver Rouse & Fauchald (1997): “Cladistics and polychaetes”.
  • Barnes, Robert D. Zoologia dos Invertebrados, Editora Rocca: São Paulo-SP, 1984.
  • NCBI < Link >
  • BMC Evolutionary Biology < Link >

https://www.youtube.com/watch?v=YCBxyKojPMo&feature=youtu.be

Categorias: Aulas

Visualizar comentários (18)