X

Estruturas Celulares e Organelas citoplasmáticas

Veja quais são as organelas citoplasmáticas e suas funções

4.4
14

São as organelas citoplasmáticas que organizam e mantêm todo o funcionamento de uma célula. É  como se fossem os órgãos das células. As organelas produzem proteínas, hormônios, energia, digerem substâncias permitem entrada e saída de outras substâncias só pra citar alguns exemplos.

Entender como funcionam as organelas citoplasmáticas, é fundamental para entender o funcionamento dos seres vivos e suas características. Assim o entendimento das organelas celulares e suas funções tornam-se de grande importância para a compreensão dos fenômenos celulares. Veja logo abaixo dois vídeos e um slide Vamos a aula e logo volto com comentários.

Vídeo 1: membrana plasmática, citoplasma, citoesqueleto, complexo golgiense

Vídeo 2: Lisossomos, peroxissomos, mitocôndrias cloroplastos e centríolos

E aí? Já sabe dizer quais são as organelas celulares? Então jogue o game A Célula Animal

Ouça o podcast de aula logo abaixo. É só apertar o play.

Antes de definir as organelas celulares separadamente, tenha em mente que elas são “máquinas celulares” responsáveis por funções bem definidas dentro da célula e algumas delas são formadas por membranas muito similares a membrana plasmática.

Há aqui uma controvérsia sobre o que é organela e o que não é. Alguns biólogos consideram organelas apenas aquelas que tem membranas. Há outros biólogos que são maior ênfase a parte funcional.

Pra citar um exemplo, os ribossomos não tem organelas. Nós consideramos os ribossomos como organelas. Logo damos mais importância a parte funcional do que a presença ou não de uma membrana.

Principais estruturas e organelas citoplasmáticas

Entre as principais organelas citoplasmáticas podemos citar:

  • núcleo
  • membrana citoplasmática
  • citoplasma
  • ribossomos
  • mitocôndrias
  • lisossomos
  • complexo golgiense
  • retículo endoplasmático rugoso
  • retículo endoplasmático liso
  • centríolos (só em animais)
  • peroxissomos
  • cloroplastos (só em vegetais)
  • parede celular (só em vegetais)
  • citoesqueleto

As imagens abaixo são de células animais e vegetais típicas exibem as características celulares junto com suas organelas.

As organelas celulares interagem umas com as outras e o funcionamento da célula depende dessas ações combinadas das organelas.

Células animais e células vegetais compartilham algumas organelas comuns e também contêm diferentes organelas. Estude ambas essas células e organelas.

Organelas citoplasmáticas: a fábrica orgânica

Membrana Plasmática ou membrana celular

A membrana plasmática é uma estrutura encontrada em todos os seres vivos e é fundamental para o funcionamento celular,

A membrana é esta estrutura que controla a entrada e saída de substâncias das células como água, sais minerais e proteínas e diversos outro produtos e subprodutos produzidos pelas células ou que entram nela.

É formada por uma bicamada de lipídeos. Nessa camada estão também glicoproteínas e lipoproteínas.

Veja uma aula completa sobre membrana celular

Citoplasma

O citoplasma não é uma organela propriamente dita. É uma solução aquosa rica em nutrientes onde as organelas estão imersas. É no citoplasma que acontecem boa parte das reações celulares.

Mitocôndrias

É a usina de energia das células, são as responsáveis por transformar açúcar principalmente, mas também gorduras e proteínas em uma molécula que pode ser usada por todas as células, o ATP. Esta molécula é usada para fazer as mais diversas atividades como produzir proteínas, realizar movimentos, divisão celular e tantas outras funções realizadas pelas células.

Esta é uma organela com dupla membrana. A membrana interna é altamente dobrada para formar cristas na matriz. Existem ribossomos, grânulos de fosfato e uma molécula circular de DNA na matriz.

Isso pode ser visto apenas no microscópio eletrônico. A mitocôndria é a “usina de força” da célula.

Ribossomos

São as organelas que produzem as proteínas e estão presentes em todos os seres vivos. Os ribossomos são os responsáveis por “ler” o código que está no RNA. Cada sequência de RNA possui uma informação específica e assim são produzidas todos os tipos de proteínas para as mais diversas funções. Veja a Aula Visão Geral da Função CelularUma animação interativa que explica de forma bem visual como funciona a célula.

O ribossomo consiste em duas partes: uma “subunidade grande” e uma “subunidade pequena”. Essas unidades são compostas de proteínas e RNA ribossômico (rRNA).

Eles não são organelas ligadas à membrana. O ribossomo pode ser ligado ao RE ou livremente embutido no citoplasma. Isto pode ser visto apenas através de um microscópio eletrônico. Os ribossomos leem o RNA mensageiro (mRNA) e são o local da síntese proteica (tradução) em todas as células vivas.

Ribossomo-é-composto-por-duas-subunidades

Núcleo

Presente apenas nas células eucariontes. Nem todas as células possuem núcleo. Sua função principal está em proteger um molécula fundamental para a vida: o DNA. A duplicação e transcrição do DNA ocorre no núcleo e este pode ter duas forma básicas. Quando o DNA está desenrolado, frouxo, damos o nome de cromatina. Quando o DNA começa a se enrolar, ficar denso, chamamos de cromossomos.

O núcleo é a maior organela da célula, envolvida por um envelope de duas membranas; É a unidade controladora da célula; Há poros na membrana conhecidos como poros nucleares; Existe um nucléolo no núcleo; Quase todas as células vivas contêm um núcleo.

Todas as funções celulares são controladas pelo núcleo. Contém os cromossomos e o número de cromossomos é variado de acordo com o tipo de espécie.

Normalmente, uma célula humana contém 46 cromossomos (23 pares). O material genético (DNA) ou genes são transportados por esses cromossomos.

Os genes controlam todas as atividades da célula, determinando o tipo específico de proteína que a célula pode produzir. O núcleo fornece a base da replicação e reprodução celular por divisão nuclear. E o nucléolo está principalmente envolvido na produção de ribossomos.

Veja aqui no site uma aula sobre o Núcleo Celular

Retículo Endoplasmático RE

o RE é uma estrutura de sacos achatada e ligada à membrana que forma tubos e folhas. Esses sacos são conhecidos como cisternas. Está continuamente conectado com a membrana externa do envelope nuclear. Existem dois tipos de RE. Quando os ribossomos estão ligados ao RER, é conhecido como retículo endoplasmático rugoso (RER) e, quando não há ribossomos, são chamados de retículo endoplasmático liso (REL).

O RER está envolvido na produção de proteínas, no dobramento de proteínas e no controle de qualidade. O REL está envolvido com a síntese de esteroides e lipídios.

Retículo Endoplasmático Rugoso (RER)

O retículo endoplasmático rugoso possui ribossomos aderidos em sua superfície, por isso também produzem proteínas, além de glicoproteínas e lipoproteínas.

Retículo Endoplasmático Liso (REL)

O retículo endoplasmático liso não possui ribossomos, por isso é chamado de liso. Tem como uma de suas principais funções a produção de lipídeos, hormônios e também atuam na desintoxicação celular.

Complexo Golgiense

Está relacionado ao acabamento proteico, e também produz vesículas de secreção.  O lisossomos são produzidos por estas organelas citoplasmáticas.

O complexo de Golgiense é um grupo de sacos achatados formado por membrana, conhecidos como cisternas e vesículas que se interpõem entre as cisternas da própria organela  e da membrana plasmática.

É um sistema de transporte dentro da célula envolvido no transporte de materiais celulares como proteínas do RE.

Lisossomos

Lisossomos são os responsáveis pela digestão intracelular. Toda molécula estranha que passa para o interior da célula pode ser digerido pelos ácidos no interior das membranas dos lisossomos.

Um lisossomo é uma estrutura esférica ligada à membrana única que contém enzimas digestivas em seu citoplasma. Está envolvida na digestão ou decomposição de organelas antigas, proteínas mal dobradas, partículas fagocitadas e outras moléculas indesejadas.

Peroxissomos

São organelas que assim como os lisossomos, também fazem catalase celular. Em seu interior há rica concentração de enzimas e água oxigenada, daí vem o nome peroxissomo.

Contém a enzima catalase, que ajuda a decompor o peróxido de hidrogênio através de uma reação de decomposição. O peróxido de hidrogênio é um composto tóxico que produz espécies reativas de oxigênio, que danificam a célula. Catalase se decompõe em água e oxigênio:

2H2O 2 –> 2H2O + O 2

Centríolos

São estruturas microtubulares que tem sua ação na divisão celular. Durante este processo, os centríolos ligam seus microtúbulos aos cromossomos, separando as cromátides irmãs e ou puxando-as para cantos opostos das células.

Aprofunde neste assunto na Aula Divisão Celular

Organelas de células Vegetais

Cloroplastos

O cloroplasto é uma organela dupla ligada à membrana, contendo uma substância semelhante a gel conhecida como “estroma”. A membrana interna forma um sistema membranoso de lamela e tilacoides.

Tilacoides são empilhados em estruturas chamadas grana (plural de ‘granum’). Tilacoides são pequenos discos da membrana na qual as reações dependentes da luz da fotossíntese se realizam.

Empilhados em grana, a forma dos tilacoides permite uma ótima área de superfície, maximizando a quantidade de fotossíntese que pode acontecer.

Os grana são conectados uns aos outros por meio de lamelas, ou membrana que conecta o grana. As lamelas também participam do fotossistema 1 estágio da fotossíntese. Todas as partes dentro do cloroplasto são cercadas por uma suspensão líquida chamada estroma.

Vacúolo

Trata-se de uma única membrana ligada e tendo seiva contendo uma solução concentrada de pigmentos, ácidos, sais, enzimas, minerais e açúcares. O vacúolo armazena os produtos residuais da célula e contribui para a pressão osmótica na célula.

Leitura Sugerida

Referências bibliográficas

Categorias: Aulas

Visualizar comentários (5)