X

Traqueia: anatomia, função – resumo

Entenda o que é traqueia, qual a função da traqueia e suas principais estruturas

A traqueia é uma das estruturas mais importantes do sistema respiratório. Tem função de conduzir o ar e faz a ligação entre a laringe na parte superior e os brônquios primários na parte inferior.

Fazendo parte das vias aéreas, é um órgão em forma de tubo que mede tem aproximadamente 10 centímetros de comprimento e 1,5 centímetros de diâmetro em adultos.

Nessa aula veremos suas principais estruturas, sua localização, suas funções, sua anatomia e algumas curiosidades.

O que é traqueia

A traqueia é um tubo membranoso cartilaginoso localizado entre a laringe e os brônquios primários, permitindo a passagem do ar inspirado para os pulmões, e está presente em quase todos vertebrados terrestres. Possui formato cilíndrico e é um dos órgãos do sistema respiratório.

É a maior via aérea do sistema respiratório, com cerca de 10 cm de comprimento e 1,5 cm de diâmetro que se estende da extremidade inferior da laringe.

Parte integrante das vias aéreas humanas, traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos juntos formam o trato respiratório inferior.

Onde fica a traqueia

Começando na base do pescoço (logo abaixo das pregas vocais), a traqueia está localizada na cavidade torácica, em frente ao esôfago, percorrendo a linha média do corpo humano até a parte posterior do esterno.

Divide-se nos brônquios esquerdo e direito, conectados aos pulmões esquerdo e direito, respectivamente.

Qual a função da traqueia

A principal função da traqueia é transportar o ar para os pulmões. Além disso a traqueia regula a temperatura do ar, funciona como barreira para micro-organismos e fornece umidade ao ar inalado. Participa ainda como auxiliar no processo da tosse e tem um papel secundário no processo de deglutição.

Sem uma traqueia, uma pessoa não seria capaz de respirar. Além de transportar ar, ela ajuda defender o corpo contra doenças. O muco ajuda a capturar micro-organismos como vírus e bactérias nocivas antes que eles entrem nos pulmões.

A traqueia também ajuda a regular a temperatura do ar que entra e sai dos pulmões. Nos dias frios, ajuda a aquecer e a fornecer umidade ao ar antes de atingir os pulmões. Em dias quentes, ajuda a resfriar o ar através da evaporação.

Funções na inalação e na expiração

A traqueia, sendo o elo que liga a laringe aos brônquios primários, tem um papel ativo em permitir que o ar circule dentro e fora dos pulmões.

O ar inalado passa das cavidades nasais e orais, através da faringe, laringe, traquea e brônquios para os pulmões.

Da mesma forma, durante a expiração, o ar rico em dióxido de carbono viaja de volta dos pulmões para a traqueia, laringe e faringe através dos brônquios, para ser expelido.

A cada inspiração, a traqueia se expande levemente em comprimento e largura, retornando ao seu estado normal a cada expiração.

As fibras musculares lisas entre as extremidades do anel traqueal ajudam a traqueia a ajustar seu diâmetro todas as vezes.

Purificando o ar inalado

As paredes internas da traqueia são cobertas por minúsculas estruturas semelhantes a cabelos, chamadas cílios e revestidas com uma camada de muco.

À medida que o ar entra, o muco pegajoso desempenha um papel crucial na captura de partículas de poeira e objetos estranhos, deixando apenas ar limpo para os pulmões.

Ao mesmo tempo, os cílios batem de trás para frente continuamente com o objetivo de transportar o muco para longe dos brônquios e em direção à laringe, onde é excretado através da tosse e espirros ou engolido para ser digerido junto com as impurezas.

No reflexo da tosse

Quando você tosse, o músculo traqueal se contrai para estreitar o lúmen traqueal, tornando o fluxo de ar mais rápido através da traqueia ao sair.

Como resultado, suas tosses são mais fortes, ajudando na remoção de muco e quaisquer partículas de poeira.

Função no sistema digestório

Os anéis traqueais flexíveis permitem que a traqueia se comprima, de modo que o esôfago obtenha espaço suficiente para expandir durante a deglutição.

Veja uma aula completa sobre o sistema digestório.

Anatomia da traqueia

Vista em seção transversal, a traqueia tem cerca de uma polegada (1,6 cm) de diâmetro. Possui uma parede fina e membranosa com anéis de cartilagem em forma de U.

Há entre dezesseis e vinte anéis de cartilagem que ficam empilhados ao longo de todo seu comprimento, com regiões membranosas estreitas espaçadas entre os anéis de cartilagem.

As extremidades abertas dos anéis da cartilagem estão voltadas para a parte posterior, perto do esôfago.

Uma membrana mucosa, semelhante à da cavidade nasal, reveste o interior da traqueia. As células dessa membrana, chamadas células caliciformes, liberam muco para ajudar a impedir que micro-organismos e detritos entrem nos pulmões.

A traqueia também é revestida por pequenas estruturas semelhantes a cabelos, chamadas cílios. Isso ajuda a empurrar o muco que contém detritos ou patógenos para fora desse órgão.

Os tecidos moles constituem a maior parte e a cartilagem fornece suporte extra.

A traqueia corre paralela ao esôfago e fica bem na frente dele. A parte de trás da traqueia é mais macia para permitir que o esôfago se expanda quando uma pessoa está comendo.

Devido à sua proximidade, um pequeno pedaço de cartilagem na laringe cobre automaticamente a abertura da traqueia para impedir que alimentos ou bebidas entrem nela quando a pessoa está comendo.

Se comida ou bebida entrar na traqueia, isso normalmente causa tosse. Se um pedaço de comida for particularmente grande, ele poderá ficar preso e obstruir a respiração.

Estruturas da traqueia

A traqueia é conectada à laringe por meio de um anel de cartilagem conhecido como cartilagem cricoide. À medida que a traqueia desce ao tórax, ela é cercada por 16 a 20 anéis de cartilagem em forma de U que a mantêm aberta, permitindo o fluxo de ar.

Músculo traqueal

O músculo traqueal liso está localizado longitudinalmente entre as extremidades abertas das cartilagens em forma de c, conectando-as uma à outra.

Bifurcação e Carina da traqueia

Carina é a crista imediatamente antes da bifurcação da traqueia, o ponto em que se divide nos brônquios principais esquerdo e direito.

Histologia: Tecidos e Membranas Traqueais

No revestimento da traqueia estão membranas mucosas compostas por células epiteliais, células caliciformes secretoras de muco e projeções semelhantes a pelos chamados cílios, que movem partículas estranhas para cima e para fora das vias aéreas.

Dentro dessas membranas, há glândulas submucosas, que atuam como companheiras das células caliciformes, secretando moléculas de água e mucina (o componente semelhante ao gel do muco) no revestimento traqueal.

A traqueia é atravessada por uma rede de vasos sanguíneos e vasos linfáticos. Além de fornecer oxigênio e nutrientes aos tecidos, os vasos sanguíneos regulam a troca de calor nas vias aéreas.

Os vasos linfáticos ajudam a remover micróbios na superfície da parede, para que possam ser isolados e neutralizados pelo sistema imunológico.

Podemos ainda dividir as mucosas em três tipos principais:

Mucosa respiratória: A camada mais interna da traqueia, composta por epitélio colunar pseudoestratificado ciliado e lâmina própria (uma fina camada de tecido conjuntivo), é coberta por um revestimento pegajoso de muco produzido pelas células caliciformes presentes na região.

Camada submucosa: a mucosa é seguida pela camada de submucosa, composta principalmente de tecido conjuntivo areolar. As proteínas elastina, colágeno e fibras reticulares ajudam a manter a elasticidade geral da parede traqueal, enquanto os nervos e vasos sanguíneos do tecido areolar fornecem as diferentes camadas.

Camada adventicia: Também composta de tecido areolar, é a camada externa da traqueia que a mantém frouxamente ligada ao esôfago e outros tecidos moles circundantes.

Cartilagens traqueais

Dezesseis a vinte anéis de cartilagem hialina em forma de U estão dispostos ao longo da camada submucosa do tubo traqueal, separados por espaços membranosos estreitos, com seu número variando dependendo dos indivíduos e da idade.

Cada anel traqueal tem cerca de 1-2 mm de espessura e 4-5 mm de profundidade, sendo aberto no lado posterior da traqueia, onde fica mais próximo do esôfago, a passagem entre a garganta e o estômago.

A firmeza das cartilagens ajuda a impedir que a traqueia entre em colapso, enquanto sua flexibilidade permite que ela se mova livremente durante a respiração.

Doenças da traqueia

A traqueia é vulnerável a infecções, inflamações e outros estresses que podem danificar as células. Isso pode levar a condições como estenose traqueal, em que há um entreitamento  restringindo a respiração, e câncer traqueal, uma forma extremamente rara de câncer.

Asfixia

Tosse é a maneira do corpo de remover substâncias estranhas da traqueia, garganta ou pulmões. Se um objeto não puder ser desalojado da traqueia, poderá ocorrer asfixia.

Sem oxigênio suficiente para abastecer o cérebro e o resto do corpo, a síncope(desmaio), asfixia e morte podem ocorrer.

Intervenções de emergência, como a manobra de Heimlich ou uma traqueostomia, podem ser necessárias para limpar a traqueia de uma obstrução.

Traqueíte

A traqueíte é a inflamação da traqueia que ocorre quase exclusivamente em crianças. É mais frequentemente associado a uma infecção bacteriana que se espalhou pelo trato respiratório superior. A bactéria Staphylococcus aureus é um culpado comum.

A traqueíte é especialmente preocupante em bebês e crianças pequenas porque qualquer inflamação de suas pequenas traqueias pode levar ao bloqueio e, em alguns casos, à asfixia.

Fístula traqueoesofágica

Uma fístula traqueoesofágica é uma passagem anormal entre a traqueia e o esôfago que permite que alimentos engolidos entrem na traqueia e, a partir daí, nos pulmões.

Isso pode causar asfixia, engasgos, dificuldade em respirar e cianose (pele azulada devido à falta de oxigênio). Pneumonia por aspiração também pode ocorrer.

Uma fístula transesofágica pode ocorrer como resultado de trauma ou câncer, embora causas como essas sejam raras.

Mais frequentemente, é o resultado de um defeito congênito que causa a formação incompleta do esôfago (conhecida como atresia esofágica)

Traqueostomia

Traqueostomia ou traquiotomia, é um procedimento cirúrgico invasivo onde a traqueia é perfurada para que o ar saia e entre através do pescoço.

Um pequeno orifício é cortado na frente da traqueia, através de uma incisão no pescoço. A traqueostomia geralmente é feita para pessoas que precisam de um longo período de ventilação mecânica (suporte respiratório), ou em situação de emergência quando as vias aereas superiores estão obstruidas.

Veja aqui no site uma aula completa sobre traqueostomia.

Respiração traqueal

A respiração traqueal é um tipo de respiração que ocorre em artrópodes. As trocas gasosas ocorrem atráves de traqueias presentes nesses animais.

Nesse caso essas estruturas são tubos finos que se ramificam por todo animal e a troca de gases vai ocorrer entre as traqueias e a hemolinfa.

Trataśe portanto de uma estrutura muito diferente das traqueias encontradas no vertebrados terrestres.

Resumo

A traqueia é um tubo largo e oco que conecta a laringe aos brônquios dos pulmões. É parte integrante das vias aéreas do corpo e tem a função vital de fornecer fluxo de ar para e dos pulmões para a respiração.

Ela começa na extremidade inferior da laringe, na base do pescoço. Ele está localizado ao longo da linha média do corpo, anterior ao esôfago e profundamente à pele, para que seja possível sentir a laringe através da pele do pescoço. Desde a sua origem na laringe, a traqueia se estende inferiormente até o tórax posterior ao esterno.

No tórax, a traqueia termina onde se divide nos brônquios esquerdo e direito, que continuam em direção aos pulmões.

A principal função da traqueia é transportar o ar de e para os pulmões.

Também ajuda a impedir que microorganismos, detritos e ar muito frio ou muito quente entrem nos pulmões.

Se uma pessoa está com problemas para respirar, um problema de saúde pode estar afetando sua traqueia e deve procurar atendimento médico o mais rápido possível.

Exercícios atividades

1 – Qual a função da traqueia durante o processo de deglutição?

Durante o processo de deglutição de alimentos, o esôfago se expande para o espaço normalmente ocupado pela traqueia.

Os anéis incompletos da cartilagem permitem que ela se estreite e permita que o esôfago se expanda para o seu espaço.

2 – Quais as principais funções da traqueia?

Serve como a principal passagem pela qual o ar passa do trato respiratório superior para os pulmões. À medida que o ar é puxado para a traqueia durante as inalações, ele é aquecido e hidratado antes de entrar nos pulmões.

A maioria das partículas que entram nas vias aéreas fica presa na fina camada de muco nas paredes da traqueia. Estes são então movidos para cima em direção à boca pelos cílios, onde podem ser engolidos.

3 – Qua é a forma da traqueia?

É um tubo com cerca de 10 cm de comprimento e menos de uma polegada de diâmetro na maioria das pessoas.

É composta por cerca de 20 anéis de cartilagem resistente. A parte traseira de cada anel é feita de músculo e tecido conjuntivo.

Um tecido úmido e liso, chamado mucosa, reveste o interior da traqueia. Ela se alarga e se alonga levemente a cada inspiração, retornando ao seu tamanho de repouso a cada inspiração.

4 – Qual a localização da traqueia?

A traqueia começa logo abaixo da laringe e desce atrás do esterno. A traqueia então se divide em dois tubos menores chamados brônquios: um brônquio para cada pulmão.

Leitura sugerida

Referências bibliográficas

DA SILVA, Alessandro César Jacinto et al. traqueia: ANATOMIA E IMPORT NCIA MÉDICO-CIRÚRGICA (EM VÍDEO).

TORTORA, Gerard J.; DERRICKSON, Bryan. Corpo Humano-: Fundamentos de Anatomia e Fisiologia. Artmed Editora, 2016.

Fontes – partes do texto foram traduzidas de

Categorias: Anatomia Aulas