Início / Aulas / Anexos Embrionários

Anexos Embrionários

Originados a partir dos folhetos germinativos, os anexos embrionários são estruturas que auxiliam o desenvolvimento do embrião de animais vertebrados, mas que não persistem nos adultos. Neste artigo você vai ver uma vídeo aula, ilustrações e um texto bem detalhado para você detonar nesse assunto. Comece com a vídeo aula anexos embrionários e depois prossiga com a leitura.

Precocemente, a lâmina de células da parede do arquêntero envolve o vitelo nutritivo, formando uma bolsa chamada saco vitelínico, único anexo embrionário de peixes e anfíbios. Em razão do consumo do vitelo, o saco vitelínico diminui progressivamente até desaparecer por completo. Além de ter a função de armazenar nutrientes, o saco vitelínico é o primeiro local de formação de hemácias dos embriões.

Nos embriões dos demais vertebrados — répteis, aves e mamíferos — encontram-se outros anexos além do saco vitelínico. A parede do intestino primitivo forma a alantoide, uma membrana ricamente vascularizada que delimita uma bolsa dentro da qual são estocados os resíduos nitrogenados gerados pelo embrião durante seu desenvolvimento. Isso não acontece nos embriões de mamíferos, que eliminam eficientemente seus resíduos através da placenta.

Nos embriões de répteis, de aves e de mamíferos, o mesoderma e o ectoderma associam-se e formam duas membranas, uma dentro da outra: o âmnio (mais interno) e o cório (mais externo).

Veja a aula Segmentação, gastrulação e anexos embrionários.

A cavidade amniótica é ocupada por líquido, que impede o dessecamento do embrião e é um eficiente sistema de amortecimento de choques mecânicos, protegendo ainda contra variações acentuadas de temperatura. O cório, mais espesso e permeável que o âmnio, recobre o embrião, envolvendo também o saco vitelínico e a alantoide. O âmnio permite o desenvolvimento dos embriões fora da água; portanto, seu surgimento foi uma importante adaptação na conquista do ambiente terrestre.

Nos embriões de répteis e de aves, algumas regiões da alantoide aderem firmemente ao cório, formando o corioalantoide, uma membrana vascularizada situada logo abaixo da casca porosa do ovo, que permite a ocorrência de trocas gasosas com o meio externo.anexos-embrionários

Nos mamíferos, forma-se a placenta, que surge do endométrio (revestimento do útero) e da parte do cório que se insere nele. É o anexo responsável pelas trocas de compostos entre o sangue materno e o sangue fetal, sem que ocorra mistura, pois não há comunicação direta entre os vasos sanguíneos da mãe e os do feto. Também secreta hormônios que mantêm a integridade do endométrio durante a gravidez. A placenta comunica-se com o embrião/feto através do cordão umbilical, pelo qual passam duas artérias e uma veia Nos mamíferos placentários a alantoide desaparece precocemente e participa do desenvolvimento da placenta e do cordão umbilical.

Veja aqui no site uma aula sobre Organogênese e Morfogênese.

No estuda embriologia é muito comum estudar os anexos embrionário das aves, no caso de um ovo de galinha, com um pintinho. Dê uma olhada também na figura abaixo.

Placenta Alantóide saco vitelinico placenta

Resumo da aula Anexos Embrionários

  • os anexos embrionário são: saco vitelínico, alantoide,amnio, cório, corioalantoide, placenta e cordão umbilical
  • são originados a partir dos folhetos germinativos
  • são estruturas que auxiliam do desenvolvimento reprodutivo dos invertebrados

Fontes:

https://www.youtube.com/watch?v=EdPcHGdyWJk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não vai embora ainda!
Quer material pra estudar ou dar aula?
Inscreva-se grátis! 
Inscrever-se
Lembre-se, você poderá cancelar a inscrição a hora que quiser
Kit de estudos de Biologia Celular - Completíssimo 
Ver Detalhes

Você é 
Professor(a)?

Tem um slide GRÁTIS em powerpoint pra você baixar agora. 
Baixar Slide