AulasBioquímicaCitologiaGenética

Função biológica das proteínas – tipos exemplos

Entenda por que as proteínas são importantes

A função biológica das proteínas pode variar muito. Elas realizam um enorme número de atividades em nosso organismo. Poderíamos dizer que sem elas, não haveria nenhum resquício de vida.

Podemos dizer também, que as proteínas são características comuns de todos os seres vivos, desde uma bactéria, até um ser humano. Veja o vídeo logo abaixo e depois continue com a leitura do texto.

Função biológica das proteínas

Proteínas podem transportar outras substâncias, fazer parte de outras estruturas,  e podem se contrair ou regular alguma função. Algumas delas têm função em nossos sistemas de defesas isso só para dizer algumas das possibilidades. Veja a imagem abaixo para mais detalhes.

função biológica das proteínas

Proteínas transportadoras ou carreadoras

existentes, por exemplo, no plasma sanguíneo, ligam-se a íons ou a moléculas específicas, que são transportados de um órgão para outro.

A hemoglobina das hemácias liga-se ao gás oxigênio à medida que o sangue atravessa os pulmões, transporta-o até os tecidos periféricos e libera-o para que possa participar da oxidação dos nutrientes e consequente liberação de energia.

Proteínas nutrientes e de armazenamento

Encontradas nas sementes de muitas plantas, são necessárias para a germinação e o crescimento do broto. Outro exemplo é a ovoalbumina, encontrada na clara do ovo.

Proteínas contrateis ou de motilidade

Habilitam células e organismos com a capacidade de contraírem-se, de mudarem de forma, ou de se deslocarem no ambiente. A actina e a miosina, que funcionam no sistema contrátil do músculo esquelético, são exemplos desse tipo de proteína.

Proteínas estruturais

Participam da organização celular, como citoplasma e membrana celular, e fornecem proteção ou resistência a estruturas biológicas.

São exemplos: o colágeno, componente das cartilagens e dos tendões; a elastina, componente dos ligamentos; e a queratina, encontrada nas unhas, no cabelo e nas penas.

Proteínas reguladoras

Ajudam a regular a atividade celular ou fisiológica. Entre elas estão muitos hormônios. A insulina, que regula o metabolismo dos açúcares, é um exemplo.

Proteínas catalisadoras ou enzimas

Proteínas com função catalítica. São catalisadas por enzimas todas as reações químicas nas quais participam as biomoléculas orgânicas das células.

Proteínas de defesa

Defendem os organismos contra a invasão de outras espécies ou os protegem de ferimentos. Podemos citar as imunoglobulinas ou anticorpos, proteínas especializadas para reconhecer e precipitar ou neutralizar invasores, como bactérias e vírus; o fibrinogênio e a trombina, que participam da coagulação do sangue, prevenindo a perda de sangue em caso de ferimento.

Veja também:

Dois desses tipos de proteína destacam-se quanto às suas funções biológicas: as enzimas e os anticorpos.

Enzimas

As enzimas são proteínas capazes de modificar a velocidade das reações químicas no interior das células. Tais proteínas reduzem a quantidade de energia necessária para a célula desempenhar suas funções.

Esse fato é importante, pois as reações químicas ocorrem nos seres vivos sem neles determinar variação de temperatura. Sem as enzimas, algumas reações químicas só seriam ativadas sob temperaturas superiores às normalmente encontradas nos seres vivos.

No interior das células, há um grande número de enzimas que desempenham várias funções, umas contribuindo para a síntese e outras, para a decomposição de substâncias.

As enzimas não se alteram pelas reações que realizam e atuam em concentrações muito baixas. Além disso, elas são específicas, isto é, cada enzima catalisa determinada reação. Essa especificidade é determinada pelo arranjo molecular da enzima, que deve encaixar-se no arranjo molecular do substrato (substância sobre a qual a enzima atua). A enzima só atua se houver um perfeito encaixe entre ela e o substrato.

encaixe enzima substrato

Diversos fatores interferem na atividade enzima tica, entre eles podemos citar o pH e a variação da temperatura. Para cada enzima existe um pH ótimo.

A pepsina do suco digestivo produzido pelo estômago, por exemplo, tem uma atividade máxima quando o pH está em torno de 2. O gráfico abaixo mostra a atuação máxima de três enzimas de acordo com valores diferentes de pH.

temperatura variação enzima

A elevação da temperatura pode aumentar a atividade enzimática até um ponto ótimo específico (temperatura ótima). Entretanto, valores altos de temperatura podem levar à desnaturação das enzimas, ou seja, à perda da estrutura original, o que leva à sua inativação.

Há enzimas que só se tornam ativas em presença de outras substâncias, denominadas coenzimas, como, por exemplo, as vitaminas. A enzima inativa é denominada apoenzima, que, na presença de coenzima, forma a holoenzima ou enzima ativa.

Os  anticorpos são proteínas também chamadas de imunoglobulinas. Eles reagem de maneira  bastante específica quando entram em contato com material estranho.

Essas substâncias estranhas são chamadas de antígenos que entram em nosso organismo. Quando nosso organismo recebe uma substância estranha (o antígeno) e é reconhecido pelo sistema imunológico, nossas células de defesa passam a produzir anticorpos específicos que irão tentar neutralizar o invasor. Tem um artigo bem detalhado da proteína Mx1, que descreve o comportamento desta proteína em processos neoplásicos

Anticorpos são produzidos por vários tipos de células que fazem parte do sistema imunitário. Dentre elas podem ser citados os plasmócitos e os linfócitos.

Se você encontrar algo indevido em no texto: função biológica das proteínas entre contato.

Fonte:

Citologia, Embriologia e Histologia, de Pezzi, Gowdak e Mattos.

Artigos relacionados

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncio detectado

Por favor, desative o desbloqueador de anúncios! Precisamos manter o site no ar. Os anúncios nos ajudam a produzir esse conteúdo grátis pra você