Início / Aulas / Diferenciação celular em cordados

Diferenciação celular em cordados

A diferenciação celular em cordados ocorre de modo muito semelhantes em outros seres vivos pluricelulares. As células embrionárias primordiais contêm as informações genéticas para a formação de um indivíduo completo. Porém, cada grupo de células traduz apenas uma parte dessa informação, adquirindo características morfológicas, bioquímicas e funcionais peculiares. Quanto mais precoce o estágio de desenvolvimento do embrião, mais indiferenciadas são as células, que são totipotentes, ou seja, podem se converter em qualquer tipo de célula diferenciada. Células menos indiferenciadas podem ser encontradas em embriões ou em certos órgãos de animais adultos, como a medula óssea vermelha humana.

Os mecanismos que transformam células embrionárias em células adultas diferenciadas não são completamente conhecidos, mas determinadas substâncias indutoras já foram isoladas em laboratório e até produzidas artificialmente. A diferenciação celular acontece em etapas: inicialmente, as células do embrião separam-se em folhetos embrionários; a seguir, células de cada folheto diferenciam-se entre si, originando linhagens precursoras dos diversos tecidos. Uma vez formadas as estruturas embrionárias primitivas (folhetos embrionários, tubo neural, notocorda, celoma e somitos), inicia-se a organogêneseprocesso de formação dos órgãos que, na espécie humana, perdura até o fim do terceiro mês de gestação.

Diferenciação celular em cordados

Durante o desenvolvimento embrionário, outro fenômeno importante é a migração celular. À medida que se diferenciam, as células migram para locais específicos no embrião, passam a influenciar quimicamente as células vizinhas e a sofrer influências destas, em uma complexa rede de interações.

Veja uma aula aqui no site sobre o Filo dos Cordados.

Embriologia e anatomia como evidências da evolução

embrião-de-um-animalSemelhanças estruturais são observadas nos embriões de diferentes tipos de vertebrados, que exibem o mesmo padrão básico de desenvolvimento. Consequentemente, a anatomia comparada dos adultos também mostra semelhanças estruturais entre órgãos encontrados em espécies diferentes. Órgãos que têm origem embrionária comum e exibem semelhanças estruturais são chamados órgãos homólogos; por exemplo, os membros anteriores (ou superiores) dos mamíferos.

Desenvolvimento humano

O desenvolvimento humano envolve uma série de eventos que ocorrem durante aproximadamente 40 semanas. Durante as três semanas seguintes à fecundação, ocorrem segmentação, formação do blastocisto (correspondente à fase de blástula), nidação (implantação no útero), gastrulação e formação da placa neural.

feto anexos embrionários

Na quarta semana, começa a organogênese, que se estende por cerca de seis semanas. Na quinta semana, inicia-se a circulação umbilical; na sexta semana, o coração está batendo. Com dez semanas de vida, o embrião humano já tem todos os órgãos formados, cria 250 mil neurônios por minuto e tem 3 cm de comprimento. A partir da 9a semana passa a ser conhecido como feto.

Pode ser usada também a palavra concepto para se referir ao embrião ou ao feto.

Com 12 semanas, o feto apresenta movimentos semelhantes aos da respiração.

Passa a responder a estímulos com 14 semanas. Nesse momento, está com 9 cm de comprimento, em média, e pesa 48 g. Com 20 semanas, começa a ouvir sons. As pálpebras estão formadas, os olhos se mexem, mas ainda permanecem fechados.

O córtex cerebral completa sua formação com 22 semanas de desenvolvimento. Com 26 semanas, o bebê pisca quando um foco de luz é aplicado à barriga da mãe e já tem condições de sobreviver a um eventual parto prematuro. Com 30 semanas (quase sete meses de gestação), o feto já está quase maduro; abre e fecha os olhos, chupa o dedo e se mexe muito.

Os pulmões completam seu desenvolvimento com 34 semanas; nesse momento, 8% da massa do feto é gordura; por causa de seu tamanho, tem dificuldades para se mexer no espaço exíguo do útero materno. Com 40 semanas, ao final da gestação, o bebê ganha até 30 gramas por dia e já está preparado para o nascimento.

A ocorrência normal de todos esses eventos leva ao nascimento de um bebê saudável. Ocasionalmente, no entanto, ocorrem problemas no desenvolvimento que podem levar a más-formações, retardo no desenvolvimento, problemas funcionais (incluindo retardo mental) e até morte fetal. Tais situações, reunidas sob a denominação de teratogênese (do grego teratos, monstro, e genesis, origem), podem ter origem genética ou ambiental — desnutrição da mãe, medicamentos usados sem orientação médica adequada, contaminantes ambientais (como mercúrio e chumbo), agentes infecciosos (como o vírus da rubéola e a bactéria da sífilis), uso de álcool, fumo e outras drogas por parte da gestante.

Tem uma outra aula aqui no site que várias relações com está aqui. Trata-se de um artigo sobre as Células Tronco. Essas células têm uma grande capacidade de diferenciação.

Resumo da aula Diferenciação celular em cordados

  • As células embrionárias tem a capacidade de formar qualquer tipo celular
  • Fases do desenvolvimento humano
  • Tipos de células tronco

https://www.youtube.com/watch?v=Ip3pUm83R88

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não vai embora ainda!
Quer material pra estudar ou dar aula?
Inscreva-se grátis! 
Inscrever-se
Lembre-se, você poderá cancelar a inscrição a hora que quiser
79 Slides profissionais   Biologia e Ciências     R$ 19,00
QUERO VER OS SLIDES

Você é 
Professor(a)?

Tem um slide GRÁTIS em powerpoint pra você baixar agora. 
Baixar Slide