EcologiaAulasBotânica

Seres autotróficos: o que são, características

Também conhecidos como autótrofos, são o seres que produzem o próprio alimento

A vida dos animais e da maioria dos outros seres vivos seria impossível sem a presença de seres autótrofos. Graças ao oxigênio produzidos por eles, podemos respirar. Graças a capacidade de capturar energia do sol e transformá-la em alimentos conseguimos nos alimentar.

Esses organismos que podem produzir seu próprio alimento, usando a luz do sol ou materiais de fontes inorgânicas. Como exemplos de seres autotróficos podemos citar as plantas, as algas e ainda alguns tipos de bactérias.

A palavra “autotrófico” vem das raízes “auto” para “eu” e “trófico” para “nutrição”. Um autótrofo é um organismo que se alimenta sem a ajuda de outros organismos. É muito comum chamar os seres autotróficos de autótrofos.

Por essa razão, os seres autotróficos são frequentemente chamados de “produtores”. Eles formam a base de uma cadeia alimentar ou de uma pirâmide energética de um ecossistema e fornecem o combustível que todos os heterotróficos (organismos que precisam obter seus alimentos de outros) precisam existir.

O que são seres autotróficos

Seres autotróficos são organismos capazes de produzir seu próprio alimento através dos processos de fotossíntese ou quimiossíntese. Como exemplo podemos citar as plantas, algas e alguns tipos de bactérias. Também podem ser chamadas de organismos autótrofos.

Esses seres conseguem sintetizar matéria orgânica, geralmente glicose, a partir de substâncias inorgânicas como a água e o gás carbônico.

As primeiras formas de vida na Terra teriam que ser autotróficas, a fim de existir e produzir energia e materiais biológicos em um ambiente anteriormente não possuía nenhum ser vivo.

Os seres heterotróficos provavelmente evoluíram à medida que os autotróficos se tornaram mais comuns.

Algumas formas de vida descobriram ser mais fácil simplesmente comer os autótrofos do que produzir energia e materiais orgânicos para si próprios.

Os seres autotróficos são extremamente importantes porque sem eles, nenhuma outra forma de vida pode existir. Sem as plantas que criam açúcares a partir do dióxido de carbono e da luz solar, por exemplo, nenhum animal herbívoro poderia existir, e nenhum animal carnívoro que comesse herbívoros poderia existir.

Tipos de seres Autotróficos

Os cientistas classificam os autótrofos de acordo com a forma como obtêm sua energia. Tipos de autótrofos incluem fotoautotróficos e quimioautotróficos.

Seres fotossintetizantes

Os seres fotossintetizantes são organismos que obtêm energia a partir da luz solar para produzir materiais orgânicos.

seres autótrofos

Também podem ser chamados de  fotoautotróficos e incluem todas as plantas, algas verdes e bactérias que realizam a fotossíntese.

Todos os seres fotossintetizantes realizam a fotossíntese – uma palavra que vem das palavras photo “luz” e  síntesis “fazer”.

Os seres fotossintetizantes capturam fótons do Sol e colhem sua energia, usando-a para realizar importantes processos bioquímicos, como produzir ATP (Adenosina trifosfato).

Os seres fotossintetizantes fazem mais do que apenas combustível e compostos orgânicos para heterotróficos como nós!

Muitos seres fotossintetizantes pegam carbono da atmosfera e o usam para fazer açúcares e outras moléculas que armazenam a energia do Sol em suas ligações moleculares.

Para fazer isso, eles absorvem moléculas de CO₂, que são criadas por processos geológicos não-vivos, e liberam moléculas de O₂ – também conhecidas como o oxigênio que precisamos respirar!

Acredita-se que o oxigênio livre não estava presente na atmosfera da Terra até que os fotoautotróficos se tornassem comuns nos mares da Terra.

Então, eles produziram tanto oxigênio livre que grandes quantidades de ferro que haviam sido previamente dissolvidas na água do oceano reagiram com o oxigênio e se transformaram em ferrugem!

Esse processo criou  formações rochosas com camadas de ferro, que ainda podemos observar hoje para ver esse registro da história de nossa Terra.

A liberação de grandes quantidades de oxigênio livre na atmosfera da Terra por fotoautotróficos abriu o caminho para grandes animais, como nós, que precisam do processo altamente eficiente de respiração aeróbica para sobreviver.

Acredita-se que parte do oxigênio produzido pelos fotoautotróficos também criou a camada de ozônio da Terra, que permitiu que a vida se movesse para a terra seca sem medo de danos no DNA causados ​​pela luz ultravioleta do Sol.

Seres quimiossintetizantes

Os seres quimiossintetizantes (também chamados de quimioautotróficos), são organismos que obtêm energia de processos químicos inorgânicos.

Hoje, os seres quimiossintetizantes são mais comumente encontrados em ambientes de águas profundas que não recebem luz solar.

Muitos precisam viver em torno de aberturas vulcânicas do mar profundo, que produzem calor suficiente para permitir que o metabolismo ocorra em uma taxa alta.

Os quimioautótrofos usam substâncias químicas voláteis, como o hidrogênio molecular, o sulfeto de hidrogênio, o enxofre elementar, o ferro ferroso e a amônia como fontes de energia.

Isso os torna adequados para morar em lugares que seriam tóxicos para muitos outros organismos, bem como para lugares sem luz solar.

Os quimioautotróficos são geralmente bactérias ou arqueobactérias, pois seus metabolismos geralmente não são eficientes o suficiente para suportar a multicelularidade.

Os cientistas especularam que a vida poderia existir em ambientes escuros e quimicamente voláteis, como os mares da lua de Júpiter, Titã, usando metabolismos semelhantes àqueles vistos em quimioautótrofos na Terra.

Nenhuma prova de tal vida ainda foi encontrada, mas alguns cientistas acreditam que a gama de opções metabólicas oferecidas pela quimiossíntese expande drasticamente a variedade de lugares no universo onde podemos esperar encontrar a vida.

Na verdade, não se sabe se os fotoautotróficos ou quimioautotróficos foram as primeiras formas de vida na Terra.

Muitos acreditam na ideia de que as primeiras células eram fotossintéticas, já que a luz do Sol brilha sobre toda a superfície da Terra.

Mas alguns cientistas acreditam que os locais vulcânicos no mar profundo ou na superfície da Terra poderiam ter fornecido energia mais concentrada e produtos químicos mais voláteis, levando potencialmente à criação das primeiras células.

Esses cientistas especulam que essas células poderiam ter desenvolvido a fotossíntese como uma fonte de energia que funcionaria em qualquer lugar da superfície da Terra e se estenderia ainda mais a partir de seus pontos de origem vulcânicos.

Como as células únicas e sua bioquímica não se fossilizam bem, talvez nunca saibamos se os quimioautotróficos ou fotoautotróficos foram as primeiras formas de vida na Terra.

Exemplos seres autótrofos

Plantas

Plantas, com pouquíssimas exceções (como plantas carnívoras, que podem comer insetos) são seres autotróficos.

Eles produzem açúcares e outros ingredientes essenciais para a vida, usando seus pigmentos, como clorofila, para capturar fótons e aproveitar sua energia.

Quando as plantas são consumidas pelos animais, os animais podem usar essa energia e os materiais orgânicos para si mesmos.

Algas verdes

As algas verdes, que são muito comuns em várias praias do Brasil, também são seres autotróficos.

O que são euglenas: características, classificação

As algas verdes podem, de fato, ter uma grande semelhança com a primeira forma de vida comum na Terra – as cianobactérias, uma bactéria verde que se desenvolveu no início do desenvolvimento da Terra e iniciou o processo de transformar nosso planeta em um mundo com uma atmosfera de oxigênio.

“Bactérias de Ferro” – Acidithiobacillus ferrooxidans

A bactéria Acidithiobacillus ferrooxidans obtém energia do ferrugem. No processo, converte os átomos de ferro de uma forma molecular onde eles não podem ser dissolvidos em água para uma forma molecular onde eles podem utilizá-la.

Como resultado, o Acidithiobacillus ferrooxidans tem sido usado para extrair ferro de minérios que não podem ser extraídos por meios convencionais.

O campo da bio hidrometalurgia é o estudo do uso de organismos vivos para obter metais, dissolvendo-os em água, onde eles podem ser processados.

  • Pirâmide de energia – Uma estrutura que mostra o fluxo de energia através de um ecossistema.
  • Heterotrófico – Um organismo que depende de outros organismos, como plantas ou presas, para alimentação.
  • Fotossíntese – O processo usado pelos fototróficos para extrair energia da luz solar.

Referências

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncio detectado

Por favor, desative o desbloqueador de anúncios!Precisamos manter o site no ar. Os anúncios nos ajudam a produzir esse conteúdo grátis pra você