AnatomiaAulasFisiologia

O que são alvéolos pulmonares: Função, anatomia

Entenda importância, os tipos, a localização dos alvéolos pulmonares

Nessa aula, você vai entender como funciona os alvéolos pulmonares. Essa que é uma das principais estruturas do sistema respiratório.

Vamos ver como é sua anatomia, suas funções, localização, histologia e como funciona a troca de gases.

Antes de prosseguir com a leitura, dá uma olhada nesse vídeo de introdução ao assunto.

O que são alvéolos pulmonares

Alvéolos pulmonares são as estruturas com a função de realizar as trocas gasosas. Tem a forma de pequenos sacos aéreos envolvidos por vasos sanguíneos e uma fina membrana. Presentes nos pulmões, eles são a menor unidade funcional do sistema respiratório

É nos alvéolos que ocorre a troca do oxigênio com o gás carbônico presentes no sangue. Esse processo é chamado de hematose pulmonar. Ou falando de maneira mais simples: trocas gasosas

Índice

Localização dos alvéolos

Localizam-se no interior dos pulmões logo depois dos bronquíolos respiratórios.

Podem estar dispostos em conjunto formando assim os sacos alveolares.

Qual a função dos alvéolos pulmonares

A função dos alvéolos pulmonares é realizar a troca gasosa. Ocorre em associação com o sistema circulatório, que vai liberar o gás carbônico e absorver o oxigênio.

Essas estruturas fornecem uma das funções mais importantes que nosso corpo desempenha.

Eles são a porta pela qual o oxigênio entra em nossa corrente sanguínea e a principal forma que alguns dos produtos residuais do metabolismo (dióxido de carbono) saem do corpo.

São revestidos por uma camada fluida conhecida como surfactante, que mantém a forma e a tensão superficial do saco de ar.

Ao manter a tensão superficial, há mais área de superfície através da qual as moléculas de oxigênio e CO₂ podem passar.

É nessa junção que as moléculas de oxigênio se difundem através de uma única célula em um alvéolo e, em seguida, uma única célula em um capilar para entrar na corrente sanguínea.

Ao mesmo tempo, as moléculas de dióxido de carbono, um subproduto da respiração celular, são difundidas de volta para os alvéolos pulmonares, onde são expelidas do corpo pelo nariz ou pela boca.

A difusão de oxigênio para os capilares ocorrem porque a concentração de oxigênio é mais baixa nos capilares.

Da mesma forma, o dióxido de carbono se difunde dos capilares para os alvéolos, onde a concentração de dióxido de carbono é menor.

Durante a inspiração, os alvéolos se expandem à medida que a pressão negativa no tórax é criada pela contração do diafragma.

Durante a expiração, os eles recuam à medida que o diafragma relaxa.

Hematose – Troca gasosa

Hematose pulmonar é o processo em que ocorre as trocas gasosas no interior dos alvéolos.

Homeostase através do controle do pH do sangue

Esse processo é a finalidade do sistema respiratório.

É por esse processo que nosso sangue absorve o oxigênio e libera o gás carbônico.

Ventilação Pulmonar

É através da ventilação pulmonar que o ar chega aos sacos alveolares.

Essas estruturas são o ponto final do sistema respiratório que começa quando inalamos o ar pela boca ou nariz.

O ar rico em oxigênio viaja pela traqueia e depois para um dos dois pulmões através do brônquio direito ou esquerdo.

A partir daí, o ar é direcionado através de passagens cada vez menores, chamadas de bronquíolos, passando pelo ducto alveolar, até que finalmente entra em um alvéolo individual.

Anatomia dos alvéolos

Os alvéolos pulmonares estão localizados na zona respiratória dos pulmões, na terminação distal dos ductos alveolares. Esses sacos aéreos estão nas extremidades do trato respiratório.

Os alvéolos são minúsculas estruturas em forma de balão e são a menor passagem no sistema respiratório.

Essas estruturas têm a espessura de apenas uma célula, permitindo a passagem relativamente fácil de oxigênio e dióxido de carbono (CO₂) entre os alvéolos e os vasos sanguíneos chamados capilares.

Existem cerca de 300 a 700 milhões de alvéolos nos pulmões, cobrindo uma área de superfície total de cerca de 70m2, que é uma área de superfície consideravelmente maior em relação ao volume.

A grande área de superfície torna a troca gasosa com a corrente sanguínea mais eficiente.

Os alvéolos são altamente elásticos, de modo que podem esticar à medida que são preenchidos com ar durante a inalação.

Eles então voltam durante a expiração para expelir o ar rico em dióxido de carbono.

Ductos alveolares

Os ductos alveolares são pequenos tubos condutores de ar que se originam a partir dos bronquíolos respiratórios.

A partir desses ductos é que se abrem vários alvéolos para se formar os sacos alveolares.

Histologia dos alvéolos pulmonares

Os alvéolos consistem em uma camada epitelial extremamente fina e uma matriz extracelular (um espaço fluido feito de colágeno e elastina que não contém células); é cercado por muitos capilares, o menor tipo de vaso sanguíneo.

A matriz extracelular fluida suporta a estrutura dos alvéolos e permite que os gases se dissolvam na água, tornando possível a difusão passiva desses gases com os capilares.

Em algumas paredes alveolares existem poros chamados de poros de Kohn, que conectam os alvéolos de modo a equalizar a pressão do ar entre os diferentes sacos de um alvéolo.

Existem dois tipos principais de células epiteliais encontradas:

  • Células tipo I (células alveolares escamosas): formam a estrutura de uma parede alveolar. Elas são extremamente finas e permeáveis, o que facilita a troca de gases com os capilares. Eles não podem sofrer mitose, o que os torna vulneráveis ​​a lesões.
  • Células tipo II (grandes alveolares): são os locais de produção de surfactante nos pulmões. São mais comuns do que as células do tipo I e podem sofrer mitose e podem até proliferar em novas células do tipo I quando necessário.

Além dessas células do epitélio, existem muitos macrófagos encontrados nos alvéolos que fornecem defesa do sistema imunológico dos alvéolos de patógenos e materiais estranhos.

Resumo

  • Um alvéolo é uma estrutura anatômica que tem a forma de uma cavidade oca e é encontrada no parênquima pulmonar (tecido dentro do pulmão).
  • Os alvéolos pulmonares são as extremidades terminais da árvore respiratória que afloram de sacos alveolares ou ductos alveolares; ambos são locais de troca gasosa.
  • A membrana alveolar é a superfície de troca gasosa. O sangue rico em dióxido de carbono é bombeado do resto do corpo para os vasos sanguíneos alveolares onde, por difusão, libera seu dióxido de carbono e absorve oxigênio.
  • Os alvéolos consistem em uma camada epitelial e uma matriz extracelular circundada por capilares. Em algumas paredes alveolares, existem poros entre os alvéolos chamados poros de Kohn.
  • As grandes células alveolares secretam surfactante pulmonar para diminuir a tensão superficial da água e manter o recuo elástico dos pulmões.
  • O surfactante pulmonar insuficiente nos alvéolos pode contribuir para o colapso de um pulmão.

Leitura sugerida

Referências bibliográficas

  • NETTER, Frank H. Atlas de anatomia humana. 5a. edição. 2011. – Link
  • WEST, John B. Fisiologia respiratória-: Princípios básicos. Artmed Editora, 2013. – Link

Fontes externas

Texto parciamente traduzido de:

Daniel Pereira

Daniel Pereira é biólogo graduado pela Unesp e atualmente faz especialização em ensino de ciências e matemática. Professor de ciências e biologia é também o fundador do site Planeta Biologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar