Aulas

Paramécio: Classificação, Estrutura, Função e Características

Alimentação, reprodução, hábitos e habitat dos paramécios

O paramécio é um protozoário unicelular que pertence ao reino protista. É encontrado principalmente em um ambiente de água doce e se locomove através de cílios presentes por toda a sua membrana celular.

Seu tamanho pode variar de 50 a 300μm em tamanho, que varia de espécie para espécie. .É um organismo eucarionte, ou seja, seu DNA é envolvido por uma membrana chamada carioteca.

O paramécio é o representante mais conhecido do Filo Ciliophora. Todo o seu corpo é coberto por pequenos filamentos parecidos com os cabelos, chamados cílios, que ajudam na locomoção.

Há também um sulco oral profundo contendo cílios orais não tão claros. A principal função desses cílios é ajudar tanto na locomoção quanto no arraste do alimento para sua cavidade oral.

Classificação de Paramécio

O paramécio é um protozoário que pertence ao Reino Protista e pode ser classificado no seguinte filo e subfilo com base em suas determinadas características.

  • Sub-Reino: Protozoários
  • Filo: Ciliophora
  • Classe: Ciliata
  • Ordem Hymenostomatida       
  • Gênero Paramecium
  • Espécies: Paramecium sp

Sendo um protozoário ciliado bem conhecido, o paramécio exibe uma diferenciação celular de alto nível contendo várias organelas complexas que desempenham uma função específica para possibilitar sua sobrevivência.

Além de uma estrutura altamente especializada, também possui uma atividade reprodutiva complexa. Das 10 espécies totais de Paramécio, as duas mais comuns são P.aurelia e P.caudatum .

Principais características do paramécio

paramécio

As principal característica de um paramécio é a presença de cílios por toda a sua membrana celular. Possuem um vacúolo alimentar para auxilar no transporte de nutrientes no interior do protozoário e um vacúolo contrátil que auxilia na osmorregulação, controlando a entrada e saída de água na célula.

São também predadores que caçam outros seres microscópicos. Suas células possuem organelas altamente especializadas e são seres eucariontes.

Vejamos abaixo mais algumas das características dos paramecium.

Movimento

como paramécios se movimentam

O corpo externo dos paramécios são coberto por estruturas minúsculas chamadas cílios. Esses cílios estão em constante movimento e o ajudam a se mover com uma velocidade que é por volta de quatro vezes o tamanho do  seu corpo por segundo.

O movimentos dos cílios faz com que o paramécio gire o corpo em torno do próprio eixo. Ao reverter o movimento dos cílios, o paramécio também pode se mover na direção inversa.

Forma e tamanho

Seu tamanho varia de 50 a 290μm ou até 300 a 350μm.Surpreendentemente, o paramécio é visível a olho nu e tem uma forma alongada de chinelo.

A extremidade posterior do corpo é pontiaguda, grossa e em forma de cone, enquanto a parte anterior é larga. A parte mais larga do corpo está abaixo do meio. O corpo de um Paramécio é assimétrico.Possui superfície ventral ou oral bem definida e superfície convexa de corpo dorsal ou aborto.

Hábito e Habitat

O Paramécio tem uma distribuição mundial e é um organismo de vida livre. Geralmente vive na água estagnada de piscinas, lagos, valas, lagoas, água doce e água corrente lenta, rica em matéria orgânica em decomposição.

Nutrição

O movimento dos cílios também é importante para o processo de alimentação do paramécio. Como esse protozoário avança, girando em torno de seu próprio eixo, isso ajuda a empurrar a comida para dentro do esófago.

Através de um processo conhecido como fagocitose, o alimento é empurrado pelos cílios para o interior através da citofaringe do paramécio cílios, que entram nos vacúolos alimentares.

O alimento é digerido com a ajuda de certas enzimas e ácido clorídrico. Depois que a digestão é concluída, o restante do conteúdo alimentar é rapidamente esvaziado no citoprocto.

A água absorvida do meio através da osmose é continuamente expelida do corpo com a ajuda dos vacúolos contráteis presentes em cada extremidade da célula.

O paramécio da espécie P. bursaria é uma das espécies que forma uma relação simbiótica com as algas fotossintéticas.

Nesse caso, o Paramécio fornece um habitat seguro para as algas crescerem e viverem em seu próprio citoplasma; no entanto, em troca, o Paramécio pode usar essas algas como fonte de nutrição, caso haja escassez de alimentos nos arredores.

Os paramécios também se alimentam de outros micro-organismos como leveduras e bactérias.

Para coletar os alimentos, utiliza seus cílios, fazendo movimentos rápidos com os cílios para atrair a água junto com seus organismos presas dentro da boca (citóstomo), abrindo-se através de seu sulco oral.

Os alimentos passam da cavidade oral para a citofaringe. Uma vez que haja comida suficiente acumulada, um vacúolo é formado dentro do citoplasma, circulando pela célula com enzimas entrando no vacúolo através do citoplasma para digerir o material alimentar.

Após a digestão, o vacúolo começa a encolher e os nutrientes digeridos entram no citoplasma. Uma vez que o vacúolo atinge o poro anal com todos os seus nutrientes digeridos, ele rompe e expele todo o seu material residual no meio ambiente.

Os cílios dos paramécios

Os cílios referem-se às múltiplas projeções pequenas, semelhantes a cabelos, que cobrem todo o corpo. Está disposto em filas longitudinais com um comprimento uniforme em todo o corpo do protozoário.

Existem também alguns cílios mais longos presentes na extremidade posterior do corpo, formando um tufo caudal de cílios.

A estrutura dos cílios é a mesma dos flagelos, uma bainha feita de protoplasto ou membrana plasmática com nove fibrilas longitudinais na forma de um anel.

As fibrilas externas são muito mais espessas do que as internas, com cada cílio surgindo de um grânulo basal. Os cílios têm um diâmetro de 0,2μm e ajudam na sua locomoção.

Anatomia e estruturas de um paramécio

Ele contém as seguintes partes:

Sulco oral

existe uma grande depressão oblíqua e rasa no lado ventrículo-lateral do corpo chamada peristômio ou um sulco oral. Este sulco oral dá uma aparência assimétrica ao animal.

Ele se estende ainda mais a uma depressão chamada vestíbulo através de um curto funil cônico. Esse vestíbulo se estende ainda mais ao citóstomo através de uma abertura em forma oval, através de uma abertura longa chamada citofaringe e, em seguida, leva ao vacúolo alimentar.

 Citoplasma

O citoplasma é uma substância semelhante à geleia ainda mais diferenciada no ectoplasma. O ectoplasma é uma camada periférica estreita.

É uma camada densa e clara com uma massa interna de endoplasma ou citosol semifluido de forma granular.

Ectoplasma:

O ectoplasma forma uma camada externa fina, densa e clara, contendo cílios, tricocistos e estruturas fibrilares. Este ectoplasma é ainda ligado à película externamente através de uma cobertura.

Endoplasma:

O endoplasma é uma das partes mais detalhadas do citoplasma. Contém vários grânulos diferentes. Contém diferentes inclusões e estruturas, como vacúolos, mitocôndrias, núcleos, vacúolos alimentares, vacúolos contráteis etc.

Tricocistos

Embutidos no citoplasma estão pequenos corpos fusiformes chamados tricocistos. Os tricocistos são preenchidos com um fluido refrativo denso contendo substâncias inchadas.

Há uma cabeça cônica no espigão na extremidade externa. Os tricocistos são perpendiculares ao ectoplasma.

 Núcleo

O núcleo ainda consiste em um macro-núcleo e um micro-núcleo.

Macro-núcleo

Macro-núcleo é densamente compactado no DNA (grânulos de cromatina). Ele controla todas as funções vegetativas do Paramécio, portanto, chamado núcleo vegetativo.

Micro-núcleo

O micronúcleo é uma estrutura pequena e compacta, de forma esférica. Os finos fios e grânulos de cromatina são uniformemente distribuídos por toda a célula e controlam a reprodução da célula.

O número em uma célula varia de espécie para espécie. Não há nucléolo presente no paramécio.

Vacúolo

Paramécio consiste em dois tipos de vacúolos: vacúolo contrátil e vacúolo alimentar.

Vacúolo contrátil

Existem dois vacúolos contráteis presentes próximos ao lado dorsal, um em cada extremidade do corpo. Eles são preenchidos com líquidos e estão presentes em posições fixas entre o endoplasma e o ectoplasma.

Eles desaparecem periodicamente e, portanto, são chamados órgãos temporários. Cada vacúolo contrátil é conectado a pelo menos cinco a doze canais.

Esses canais consistem em uma ampola longa, uma parte terminal e um canal injetor de tamanho curto e que se abre diretamente para o vacúolo contrátil.

Esses canais despejam todo o líquido coletado de todo o corpo do paramécio no vacúolo contrátil, o que faz com que o vacúolo aumente de tamanho.

Este líquido é descarregado para o exterior através de um poro permanente. A contração de ambos os vacúolos contráteis é irregular.

O vacúolo contrátil posterior fica próximo à citofaringe e, portanto, contrai-se mais rapidamente devido à passagem de mais água. Algumas das principais funções dos vacúolos contráteis incluem osmorregulação, excreção e respiração.

Vacúolo alimentar

O vacúolo alimentar não é contrátil e tem uma forma aproximadamente esférica. No endoplasma, o tamanho do vacúolo alimentar varia e digere as partículas, enzimas e uma pequena quantidade de líquido e bactérias.

Esses vacúolos alimentares estão associados aos grânulos digestivos que auxiliam na digestão dos alimentos.

Reprodução dos paramécios

Assim como todos os outros ciliados, o paramécio também consiste em um ou mais micronúcleos diploides e um macro-nucleoide polipoide, portanto, contendo um aparelho nuclear duplo.

A função do micronúcleo é manter a estabilidade genética e garantir que os genes desejáveis ​​sejam transmitidos para a próxima geração. É também chamado de linha germinativa ou núcleo generativo.

O macro-núcleo desempenha um papel nas funções celulares não reprodutivas, incluindo a expressão dos genes necessários para o funcionamento diário da célula.

O paramécio se reproduz assexuadamente através da fissão binária . Os micro-núcleos durante a reprodução sofrem mitose, enquanto os macronúcleos se dividem através de mitose.

Cada nova célula, no final, contém uma cópia dos macro-núcleos e micro-núcleos após a célula sofrer uma divisão transversal. A reprodução por fissão binária pode ocorrer espontaneamente.

Também pode sofrer autogamia (auto-fertilização) sob certas condições. Também pode seguir um processo de reprodução sexual em que há troca de material genético por causa do acasalamento entre dois parâmetros necessários para o acasalamento através de uma fusão temporária.

Há uma divisão meiótica dos micronúcleos durante a conjugação que resulta em gametas haploides e é posteriormente transmitida de célula para célula.

Os macronúcleos antigos são destruídos e a formação de um micronúcleo diploide ocorre quando gametas de dois organismos se fundem.

O paramécio se reproduz por conjugação e autogamia quando as condições não são favoráveis ​​e há escassez de alimentos.

Assuntos Relacionados

Referências Bibliográficas

  • DE CASTRO, Darcy Ribeiro; BEJARANO, Nelson Rui Ribas. O CONHECIMENTO PRÁTICO DOS ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL IA PARTIR DE OBSERVAÇÕES MICROSCÓPICAS (Practical knowledge of elementary school I students from microscopic observations). Link
  • Princípios de Fisiologia Animal – Link

Daniel Pereira

Daniel Pereira é biólogo graduado pela Unesp e atualmente faz especialização em ensino de ciências e matemática. Professor de ciências e biologia é também o fundador do site Planeta Biologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é Professor(a)?

Quer baixar Slides Grátis de Biologia e Ciências com qualidade profissional?
 
Baixar Slides
close-link
Fechar