Início / Aulas / Função do sistema respiratório

Função do sistema respiratório

O sistema respiratório é formado pelas narinas e fossas nasais; pela faringe, laringe e traqueia; e pelos brônquios e pulmões. O diafragma e os músculo intercostais também realizam funções no sistema respiratório.

Os pulmões estão localizados na cavidade torácica, espaço compreendido entre os doze pares de costelas e a coluna vertebral. Veja no slide e um vídeo logo abaixo as principais de forma ilustrada a função do sistema respiratório. Depois continue com a leitura.

O pulmão esquerdo é um pouco menor que o direito porque compartilha o espaço com o coração, no lado esquerdo do tórax. A aula original está aqui: Função do sistema respiratório

A pleura recobre os pulmões e, abaixo Costelas deles, está o diafragma, um músculo presente apenas nos mamíferos. É ele quem separa os órgãos torácicos dos órgãos abdominais e tem um importante papel no processo respiratório.

Principais sistemas do corpo humano

Função do sistema respiratório

Vejamos agora as principais funções do sistema respiratório.

A ventilação pulmonar

O processo de entrada e saída de ar nos pulmões é denominado ventilação. Nesse processo participam ativamente o diafragma e os músculos intercostais (que ficam entre as costelas).

Veja uma de Fisiologia Humana com os Principais sistemas do corpo humano.

Durante a inspiração, o diafragma e os músculos intercostais contraem-se, aumentando o volume interno da caixa torácica. Desse modo, o ar entra nos pulmões. Na expiração, o diafragma e os músculos intercostais relaxam, diminuindo o volume interno da caixa torácica e determinando a saída de ar dos pulmões.

No processo de ventilação, as costelas acompanham a variação do volume da caixa torácica. Na inspiração elas se elevam e, na expiração, elas se abaixam.

Para sentir a variação de volume da caixa torácica nesse processo, coloque suas mãos nas laterais do tórax, sobre as costelas. Depois, inspire e expire profundamente e note o movimento do tórax.

Antes de alcançar os pulmões, nos quais ocorrem as trocas gasosas, o ar entra no organismo pelas narinas, passa pelas fossas nasais, pela faringe, pela laringe e pela traqueia.

Na laringe estão localizadas as cordas vocais. Durante a expiração, o ar passa por elas e possibilita a produção de som. Além das cordas vocais, a língua, a cavidade bucal, os lábios e a cavidade nasal também participam do processo de fala.

A traqueia – um tubo de aproximadamente 10 centímetros de comprimento -possui paredes reforçadas por anéis cartilaginosos, os quais a mantêm sempre aberta.

Em seu prolongamento, a traqueia se divide em dois grandes tubos: o brônquio direito e o brônquio esquerdo, os quais também possuem anéis cartilaginosos em suas paredes Como o próprio nome sugere, o brônquio direito segue para o pulmão direito e o brônquio esquerdo, para o pulmão esquerdo

A função do muco é evitar que substâncias presentes no ar, como poeira, microrganismos e outras partículas em suspensão entrem em contato com o pulmão. Os cílios deste epitélio possibilitam que o muco cheio de partículas seja expelido pela garganta ou pelas fossas nasais. Quando essas partículas ficam presas nas fossas nasais, elas podem ressecar, ficando mais endurecidas. Como o revestimento dessas fossas é delicado, recomenda-se retirar o muco apenas assoando o nariz.

A tosse também evita que materiais presentes no ar entrem em contato com o pulmão.

Anatomia do sistema respiratório superior.Função do sistema respiratório

A troca gasosa

Assim como nos vasos sanguíneos, cada brônquio se ramifica em tubos cada vez mais finos, denominados bronquíolos, os quais ficam tão finos quanto um fio de cabelo. Cada bronquíolo está conectado a minúsculas bolsas de ar denominadas alvéolos.

As paredes dos alvéolos são muito finas e cobertas por uma malha de capilares sanguíneos. Nesses capilares ocorrem as trocas gasosas no processo de respiração, em que o sangue libera gás carbônico para os alvéolos, os quais, por sua vez, também liberam gás oxigênio para as hemácias do sangue.

Dentro das células, o açúcar absorvido na digestão e o gás oxigênio presente no ar inspirado se combinam para produzir energia.

A troca de gases, denominada hematose, ocorre nos alvéolos pulmonares. O gás oxigênio difunde-se para os capilares e penetra nas hemácias, nas quais se combina com uma proteína conhecida por hemoglobina.

As hemácias do sangue que deixam os pulmões vão para o coração e de lá são bombeadas, transportando grande quantidade de gás oxigênio para todo o corpo. E dessa forma que o gás oxigênio chega a todas as células, nas quais ele reage com a glicose, desencadeando uma reação química que libera energia e produz gás carbônico e água.

Difusão é o movimento de gases e moléculas de uma região mais concentrada para uma região menos concentrada sem gasto de energia. É por isso que o gás oxigênio passa das hemácias para as células do corpo e o gás carbônico passa das células do corpo para as hemácias.

Nas células dos tecidos também ocorre o processo inverso: o gás carbônico nelas produzido passa para as hemácias (onde ele também se liga à hemoglobina) e

segue para o coração. Esse sangue, que transporta grande quantidade de gás carbônico, é bombeado para os pulmões, onde é novamente oxigenado. Os capilares permitem que o sangue entre em contato com os alvéolos e, a partir desse momento, o gás carbônico faz o caminho inverso ao do gás oxigênio: passa dos alvéolos para os bronquíolos, depois pelos brônquios, pela traqueia, pela boca e pelas narinas, das quais é expelido.

Coloque a palma de uma das mãos na frente da sua boca quando você expira. Note que o ar expirado é quente, pois a temperatura do corpo geralmente é maior que a do ambiente. O ar é aquecido à medida que é transportado pelo corpo.

O muco, além de evitar que substâncias danosas penetrem nos pulmões, contribui para a umidifícação do ar. Para que a troca gasosa ocorra, é importante que o ar chegue úmido aos pulmões. Além disso, quando a respiração se dá pelo nariz, o ar chega mais aquecido aos pulmões.

A respiração é um processo automático, controlado pelo sistema nervoso. Normalmente esse centro nervoso envia um sinal para que a pessoa respire a cada cinco segundos. O organismo também conta com diversos receptores que medem a taxa de gás oxigênio no sangue. Quando a concentração de gás oxigênio é muito baixa, os receptores enviam sinais químicos ao centro nervoso do controle da respiração, acelerando o ritmo respiratório. Quando isso ocorre, a pessoa fica ofegante e a taxa de gás oxigênio no sangue aumenta.

Fontes: Oficina do Saber, de Alice Costa Carla Newton Scrivano – Editora Leya

http://www.livescience.com/22616-respiratory-system.html

Quer receber mais AULAS GRÁTIS?

inscreva-se em nosso canal no YouTube
 

botao-youtube

um comentário

  1. Pra mim o melhor desse site são os slides, ótimo pra quem precisa apresentar trabalhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer receber mais AULAS GRÁTIS?

inscreva-se em nosso canal no YouTube
 

botao-youtube

Não vai embora ainda!
Quer material pra estudar ou dar aula?
Inscreva-se grátis! 
Inscrever-se
Lembre-se, você poderá cancelar a inscrição a hora que quiser

Você é 
Professor(a)?

Tem 1 Slides GRÁTIS pra você baixar.
Baixar Slides